Oficinas e roda de conversa discutem cultura negra

O mês de novembro traz junto com ele a memória de Zumbi dos Palmares, ícone da resistência à escravidão. É um mês oportuno para refletirmos sobre o racismo e seus reflexos até os dias atuais. Trazendo a cultura e memória negras, o Museu Ciência e Vida preparou uma programação especial para o tema, entre os dias 14 e 18 de novembro. As atividades são gratuitas e as inscrições são realizadas pelo telefone 2671-7797.

 

Oficina de Boneca Abayomi e Contação de História

14/11, às 13h30

Para pessoas acima de 6 anos.

Feitas sem costura, apenas com nós ou tranças, as bonecas abayomis são símbolo de resistência. Eram feitas pelas mães africanas, trazidas ao Brasil no processo de escravidão. Elas rasgavam retalhos de suas saias e a partir deles criavam pequenas bonecas, que serviam como amuleto de proteção.

Nessa oficina, ministrada pelo Coletivo Filhas de Dandara (universitárias da FEBF, unidade Uerj Duque de Caxias), mais que aprender a confeccionar a boneca, vamos conversar sobre a importância histórica, social e cultural delas.

Ao final, uma contação de história que traz temas relacionados à consciência negra, ministrada pela equipe de Contação do Museu.

 

Oficina Retalhos da História

17/11, às 14h

Público-alvo: alunos e professores de escolas públicas

Uma forma diferente de aprender sobre a história, trocar conhecimentos e entremear a cultura negra. Nessa oficina, histórias são usadas como ferramenta pedagógica, com o mítico e o lúdico sendo porta-vozes do conhecimento e das tradições orais africanas. Ouvir uma história, contá-la e recontá-la, durante muitos anos, foi a maneira de preservar os acontecimentos e manter viva a história dos povos. Então vamos trabalhar a oralidade com base na figura do Griô como ferramenta pedagógica para aplicação da Lei 10.639/03 contribuindo para o ensino de História, Literatura e tradição africana e afro-brasileira.

Oficina realizada por Gisele da Silva - professora de geografia formada na Faculdade de Formação de Professores da UERJ e pós graduanda em ensino de história e culturas africanas e afro brasileiras no IFRJ -SG. Atua como contadora de histórias, ministrando a oficina "Retalhos da História" em escolas, universidades, comunidades carentes e ONGs.

 

Roda de Conversa - Fazendo barulho e contando histórias: contribuições para práticas educativas na educação infantil e do 1º ao 5º anos do ensino fundamental

Com o filósofo Renato Noguera

18/11, às 14h

Filósofo, professor e pesquisador, Renato Noguera propõe um olhar para as histórias e culturas afro-brasileira, africana e dos povos indígenas através de literatura e musicalização infantis. A roda de conversa oferece certificado.